20.1.13

'Entrei no porão e nunca mais saí dele'

Marco Antônio Guimarães, Especial para o Estado

Quando cheguei a Salvador, em 1966, para estudar música na escola da UFBA que na época tinha o belo nome de "Seminários Livres de Música", não sabia da existência de Walter Smetak. Logo nos primeiros dias, lembro que alguém me fez essa pergunta: "Você já conheceu o louco do porão?". A curiosidade me fez descer a escada que levava à parte de baixo do prédio. Era a oficina de Smetak. Ele estava trabalhando na bancada em um instrumento quando entrei. Certamente percebendo meu olhar de surpresa e encantamento ao ver a enorme quantidade de belos e desconhecidos instrumentos musicais, disse para ficar à vontade e percorrer a oficina para conhecer de perto cada um deles.

Depois conversamos um pouco e Smetak falou a respeito de alguns instrumentos que, como ele percebeu, me deixaram encantado. Foi assim nosso primeiro encontro e, durante os quatro anos que morei em Salvador, passei a frequentar a oficina no porão regularmente.

Nessa época, Smetak estava trabalhando com a série de "instrumentos coletivos" (cada um tocado por um grande número de pessoas) e tive a oportunidade de participar de um concerto de apresentação desses novos instrumentos. Meu saudoso professor Ernst Widmer, compositor e também suíço de origem como Smetak, regeu um improviso coletivo em que vários estudantes da escola tocavam aqueles maravilhosos instrumentos. Uma experiência mágica que vou sempre lembrar.

Minha ideia, quando decidi estudar música, era me formar como regente de orquestra e tocar um instrumento. Acabei estudando violoncelo, que era o instrumento de Smetak, e me dedicando à composição. A influência que recebi de Walter Smetak foi absolutamente fundamental para que, alguns anos depois, já de volta a Belo Horizonte, eu iniciasse a criação e construção de novos instrumentos musicais que foram a origem do Grupo Uakti. A Bahia e Smetak me deram "régua e compasso", como disse Gilberto Gil que, por sinal, também aparecia para visitar Smetak de vez em quando. Eu o via chegar e descer direto ao porão.

MARCO ANTÔNIO GUIMARÃES É COMPOSITOR E INTEGRANTE DO GRUPO UAKTI

 

ESTADO.COM.BR - Cultura
/Cultura

http://topicos.estadao.com.br/musica

Nenhum comentário:

Postar um comentário