17.8.12

Osesp brilha em Londres


AE - Agênci

"Oferecer música clássica de qualidade, para o maior número de pessoas." Sentado em um dos salões do centenário Royal Albert Hall, Roger Wright se diverte lembrando que é bem provável que os criadores do Proms, em 1895, tenham definido o festival com as mesmas palavras. "No fundo, é isso mesmo. O que mudou foi apenas a ?percepção de novos desafios, trazidos pela tecnologia e pela necessidade, sempre presente, de ampliar as plateias, buscar novos públicos", diz.
Wright é diretor do Proms desde 2007, ocupação que divide com a de controlador geral da BBC 3, emissora de rádio estatal dedicada à música clássica - e também responsável pelo Proms (abreviatura de Promenade Concerts). Isso significa que ele é encarregado de montar uma temporada anual de cerca de cem concertos, realizados entre o fim de julho e o começo de setembro, todos eles transmitidos ao vivo pelo rádio - e um terço deles também pela televisão, caso, por exemplo, do concerto feito pela Osesp na noite de quarta-feira, 15.
Realizado no verão, o festival não deixa a capital. Faz questão de ser uma opção para quem fica - e quem visita a cidade. "E, em tempos de internet, nossas transmissões podem chegar a qualquer lugar do mundo por meio do nosso site", diz Wright. "É importante ter isso em mente quando programamos. Que público eu quero atingir? Todos, do jovem estudante à família que vem reunida assistir a um concerto. O foco é cativar ainda mais o público tradicional e, ao mesmo tempo, inovar, arriscar, para ser capaz de atrair pessoas que nunca estiveram em um concerto."
Nesse sentido, é fundamental o valor dos ingressos - o mais barato custa 7 libras. "Quem paga o ingresso mais barato fica mais perto do palco, no círculo central, e isso é interessante", diz Wright. Mas isso não basta, acredita ele. Desde o início dos anos 2000, o Proms tem realizado em todo o Reino Unido um projeto de educação musical, coordenado por Ellana Wakely. Ela explica que seu trabalho foi transformar trabalhos comunitários em uma rede integrada de ações, cuja palavra-chave é "participação". "Nossa função é dar as ferramentas para que as pessoas absorvam a música no dia a dia", diz. O que significa desde aulas de musicalização nas escolas até a criação de orquestras familiares, montadas nas comunidades, passando por sete laboratórios de composição espalhados pelo Reino Unido. "Músicos da BBC e compositores mais experientes trabalham com os jovens, estimulando-os a criar suas próprias composições, que depois são selecionadas e podem chegar a ser tocadas em concerto do Proms."
As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

15.8.12

Flautista Altamiro Carrilho morre no Rio aos 87 anos

RIO DE JANEIRO, 15 Ago (Reuters) - O músico, compositor e flautista brasileiro Altamiro Carrilho morreu nesta quarta-feira aos 87 anos em uma clínica no Rio de Janeiro, onde havia sido internado nesta semana para tratar complicações pulmonares, disse a família dele.

Anteriormente, ele já havia sido hospitalizado algumas vezes com problemas pulmonares que o deixaram muito debilitado, de acordo com familiares.

Carrilho, considerado um dos mestres da música brasileira, fez carreira nacional em programas de rádio e de auditório e ganhou projeção internacional, produzindo mais de 100 discos e 200 canções. Também se apresentou em mais de 40 países.

"Ele ajudou a difundir a bossa nova e era um gênio, um virtuoso", disse o ex-parceiro e músico instrumentista Rubens Antônio da Silva, conhecido como Caçulinha.

"Ele tocava vários instrumentos, era muito dedicado e estudava mais de duas horas por dia. Seu som tinha uma limpeza e uma qualidade ímpar, tanto que teve reconhecimento fora do Brasil também", acrescentou.

A família ainda não revelou onde será velado e sepultado o corpo do flautista. Há possibilidade de o enterro ser realizado na cidade onde ele nasceu, Santo Antônio de Pádua, no interior do Estado fluminense.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

Música instrumental popular e erudita estão no 6º Festival Etapa de Música de Arte

Evento ocorre de 17 a 26 de agosto, em Valinhos, e reúne artistas importantes da música brasileira. Eumir Deoadato abre o festival.
6º Festival Etapa de Música de Arte vai ocorrer de 17 a 26 de agosto, de sexta a domingo, no teatro do Etapa, em Valinhos. O evento reúne o melhor no quesito música instrumental popular e erudita do Brasil. Serão seis showscom músicos consagrados e a programação deste ano mantém a estética das últimas edições, misturando acordes de piano, contrabaixo, guitarra, percussão, gaita, entre outros instrumentos. 
O instrumentista, arranjador, compositor e produtor, Eumir Deodato abre o evento nesta sexta (17), acompanhado do baixista Marcelo Camargo Mariano e do baterista Renato Bittencourt. 
No sábado (18) é a vez da uma apresentação especialmente formada para a edição de 2012 do festival, com Cláudio Roditi & Roberto Sion Quinteto. O saxofonista, clarinetista e arranjador, Nailor Proveta, o pianista Carlos Roberto, o contrabaixista Paulo Paulelli e Celso Almeida na bateria formam o Quarteto que fechará o primeiro final de semana do Festival, no domingo (19), ao som de clássicos do choro, do frevo e do samba.

Na sexta-feira (24) seguinte, o campineiro Laércio de Freitas tocará ao lado de João Parayba, Rudy Arnaud e Daniel Amorim. No sábado (25), Mauro Senise terá a seu lado, Gabriel Getzti ao piano, Rodrigo Villa no contrabaixo e Ricardo Costa na bateria. No domingo (26), encerrando o festival, o pernambucano Rildo Hora, gaitista e produtor musical, se apresentará com o excepcional pianista Misael da Hora.

Às sextas-feiras e aos sábados, os músicos se apresentam às 20 horas, e aos domingos, às 19 horas. Os ingressos já podem ser adquiridos no colégio Etapa Valinhos ou pela internet. A renda será integralmente revertida para a Aliança Beneficente Universitária de São Paulo (Abeuni).

Programação:

17/08
Eumir Deodato Trio
Horário: 20 horas 
18/08
Cláudio Roditi & Roberto Sion Quinteto
Horário: 20 horas
19/08
Nailor Proveta Quarteto
Horário: 19 horas
campinas.com.br