13.1.12

Documentário destaca universo musical de Tom Jobim


AE - Agência Estado
Havia canções que, no recente documentário de Eduardo Coutinho, não poderiam faltar. Nelson Pereira dos Santos fez sua lista das 14 mais. "Mas, no final, a gente tem mais canções do vovô", informa a codiretora Dora Jobim. Ela fala do documentário "A Música Segundo Tom Jobim". Dora ainda se refere a ele, carinhosamente, como o vovô. Ela tinha 18 anos quando Tom morreu. Filha de Paulo Jobim, que acompanhava o pai, como músico, ela viveu sua infância em estúdios de gravações ou acompanhando turnês. A música sempre fez parte de sua vida.


"E ela era a queridinha do vovô", explica Nelson Pereira dos Santos, que também é avô e tem sua queridinha - mas não pergunte quem é, porque a última coisa que ele quer é decepcionar os demais netos. Nelson e Dora conversam com o repórter no lobby de um cinema no Rio. Segunda-feira pela manhã. Ele vai mostrar "A Música Segundo Tom Jobim" para alguns amigos. O clima é de confraternização, de festa, e Nelson está relaxado.

Ele conta que o documentário sobre Tom surgiu quase como uma consequência do anterior, sobre Sérgio Buarque de Hollanda. O outro, pertencia a uma geração que pensou o Brasil - e influenciou Nelson e seus colegas de Cinema Novo. O outro, expressou a brasilidade por meio de notas musicais, Tom era tão brasileiro que, mesmo quando cantava em inglês, para plateias internacionais, você podia ouvir o murmúrio das ondas ou o cantar da sabiá.

O filme estreia dia 20. Na verdade, deveria ter ficado pronto no fim de 2010, segundo acordo com a patrocinadora. Se "A Música Segundo Tom Jobim" demorou tanto tempo foi por causa dos direitos e do material iconográfico. Havia um material que deveria vir do Japão. Até nisso o tsunami causou estragos. Mas tudo está terminando bem. Dia 20, comemora-se o dia de São Sebastião e o aniversário do Rio de Janeiro, que Tom amava (e colocou na sua música, não apenas por meio de uma certa garota de Ipanema).

Dia 25, ele estaria completando 85 anos. Prepare-se. Você nuca viu um documentário como este. Só música. Nenhuma outra palavra que não as das letras. E as imagens. Elas contam sutilmente uma história, mas isso vai depender de você. Nelson e sua escudeira, Dora, criaram uma obra aberta. Você vai preenchê-la e agradecer. As canções selecionadas vão encher seus ouvidos, encantar sua alma. A música, segundo Tom Jobim, pode ser - é - transcendental. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

A Música Segundo Tom Jobim
Direção: Nelson Pereira dos Santos e Dora Jobim.
Gênero: Documentário (Brasil/2011, 88 min.).
Classificação: Livre. Estreia dia 20/1. 
http://www.estadao.com.br/noticias/

11.1.12

Conservatório de Tatuí está com 78 vagas abertas para novos alunos no Polo Avançado em São José do Rio Pardo


Candidatos podem se inscrever a partir do dia 9 de janeiro, na secretaria da escola
O Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura e Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos está com 78 vagas abertas para novos alunos no Polo Avançado do Conservatório de Tatuí de São José do Rio Pardo. As inscrições serão realizadas no período de 09 a 13 ou de 16 a 20 de janeiro, na secretaria do Polo, situada na Rua São Bernardo, 800, Jardim São Roque, das 8h às 17h.
As vagas disponíveis são para alunos com ou sem conhecimento musical nos seguintes cursos: clarinete, saxofone, trompa, trompete, trombone/bombardino, tuba, percussão sinfônica, piano, piano correpetido, canto lírico, violino, violoncelo e contrabaixo. O número de vaga disponível para cada curso está publicada no site www.conservatoriodetatui.org.br.
Para se inscrever, o candidato precisa se apresentar na secretaria do Polo Avançado com qualquer documento com foto que conste a data de nascimento e pagar taxa de R$ 40.
O ingresso ao Polo Avançado do Conservatório de Tatuí será mediante processo seletivo, pelo qual o candidato passará por duas fases eliminatórias: a primeira será comum a todos inscritos, que consistirá de um teste auditivo para a verificação da capacidade de percepção musical sem exigir conhecimento prévio de teoria musical. O resultado será divulgado no sitewww.conservatoriodetatui.org.br e nos murais da escola, no dia 27 de janeiro
A segunda fase será composta por uma entrevista e uma Avaliação de Performance tocando o instrumento escolhido pelo candidato, ou cantando, caso ele tenha optado pelo curso de canto. Os dias para a realização da segunda fase serão divulgados no site do Conservatório de Tatuí.
Os candidatos estrangeiros deverão ser submetidos a uma prova de português, como parte do processo de seleção. Para a realização do teste será preciso que o candidato traga apenas caneta azul. A avaliação não poderá ser preenchida a lápis.
No site do Conservatório de Tatuí, o candidato poderá encontrar o edital do processo seletivo, assim como as obras a serem apresentadas para a banca de cada curso e os horários dos testes auditivos. Mais informações pelo telefone (19) 3681 5692.

Dicas de Respiração com Jerome Callet


Respirar:


Qual é a maneira apropriada de respirar e fundir? Muitos tocadores falam sobre fazer exame de uma respiração cheia de yoga. Em uma respiração cheia de yoga uma enche toda a maneira do fundo e toda maneira ao alto. Isto não é útil para nenhum instrumento de bronze incluindo a tuba. Você necessita somente aproximadamente 1/3 tanto de ar como a maioria dos tocadores se usam atualmente. Eu gosto de usar uma caixa superior ao puxar o estomago mais baixo dentro um pouco. Mas não ele inteiramente! Se você tiver demasiado ar na entrada que seu som começará áspero e blasto e você pode começa a luz dirige também.
Que é o problema com overblowing?
Nós falamos sobre um som áspero mais o lightheadedness. Mais importante, quando você overblow você não puder precisamente controlar o passo. Isto faz com que seu som espalhe mesmo pior do que tendo um ataque mal. Também, vamos dizer que você overblowing para um C elevado e necessitar um F elevado. Quando adicionou a pressão você necessita agora?E, a onde você está indo começá-lo? Fundir duramente é uma maneira extremamente ineficiente e non-musical assim no registro.
Como nós usamos menos ar e começamos ainda o volume sadio?
O volume do som é baseado na compressão do ar, não volume de ar. A compressão eficiente está feita dentro da boca antes que o ar bata os lábios. O objetivo no cuspo que zumbe é tocar de C abaixo da equipe de funcionários ao 1º C acima da equipe de funcionários sem chifre ou mouthpiece. Se você puder cuspir o zumbido estes dois oitavos você tem uma embocadura forte bastante para tocar qualquer coisa.

Música Instrumental

 http://bleidsonbarbosa.blogspot.com/

Inscrições para o 11º Prêmio Nabor Pires Camargo já estão abertas


Organização espera recorde de participantes este ano.
AI/ Prefeitura de Indaiatuba
Foto
O prêmio visa divulgar as obras do clarinetista e compositor indaiatubano Nabor Pires Camargo
A Fundação Pró-Memória informa que está aberto o período de inscrições para o 11º Prêmio Nabor Pires Camargo – Instrumentista. Voltado à música popular brasileira, o prêmio visa divulgar as obras do clarinetista e compositor indaiatubano Nabor Pires Camargo, além de estimular e revelar o talento de novos criadores e intérpretes.
Trata-se de um dos poucos concursos de música instrumental realizados no Brasil, sendo nacionalmente conhecido e divulgado. O prêmio será realizado durante a 16ª Semana Nabor Pires de Camargo, prevista para ocorrer na última semana de abril.
Nesta edição o prêmio para o melhor músico será de R$8 mil; o segundo colocado receberá R$6 mil; o terceiro R$ 5 mil, e o quarto colocado receberá R$4 mil. Haverá ainda uma menção honrosa no valor R$ 2 mil. Segundo o superintendente da Fundação, Carlos Gustavo de Nóbrega, a expectativa é que o prêmio supere mais uma vez o número de participantes, algo que vem ocorrendo gradativamente. Em 2009 foram 32 músicos inscritos, no ano seguinte 40 instrumentistas participaram e em 2011 esse número saltou para 54.
O período de inscrições segue até o dia 31 de março de 2012. Após uma triagem serão selecionados os dez finalistas que concorrerão em audição pública a ser realizada dia 27 de abril às 19h30. A Fundação Pró-Memória oferecerá, aos participantes e seus acompanhantes, no dia da audição almoço e ajuda de custo proporcional para a viagem e hospedagem.
O candidato deverá inscrever-se individualmente uma única vez com duas músicas, uma de Nabor Pires Camargo e outra de livre escolha, desde que faça parte do repertório de música popular brasileira e tenha duração máxima de cinco minutos. As canções deverão ser gravadas em áudio (preferencialmente em CD) e enviadas juntamente com seis cópias das partituras de cada música e a ficha de inscrição devidamente preenchida para o seguinte endereço: Fundação Pró-Memória de Indaiatuba - 11º Prêmio Nabor Pires Camargo, rua Pedro Gonçalves, 477, Jardim Pau Preto, Indaiatuba, SP - CEP: CEP 13330-210.
A ficha de inscrição e o regulamento completo do concurso estão disponíveis no site do evento - www.premionabor.com.br. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (19) 3875-8383 ou 3834-6319.
Nabor Pires de Camargo
Apaixonado pela música, o indaiatubano Nabor Pires de Camargo, nascido em 1902, começou a estudar clarinete ainda na infância e logo foi admitido como clarinetista da banda infanto-juvenil regida pelo maestro José Lopes dos Reis, o "Dunga”.
Mais tarde aprofundou os estudos no Conservatório Dramático-Musical de São Paulo. Atuou em muitas bandas e orquestras como a Orquestra Sinfônica da Rádio Tupi e a Orquestra Sinfônica Musical de São Paulo. Em 1929 compôs o Hino Indaiatubano, oficializado em 1974. Nabor foi escolhido o "Melhor Clarinetista de 1930", prêmio concedido pela Gazeta Esportiva.
Já em 1984 foi o primeiro ganhador da Medalha "João Tibiriçá Piratininga", honraria concedida desde 1984 aos cidadãos que prestaram relevantes serviços ao município de Indaiatuba.