9.10.14

SpokFrevo Orquestra e o sonho americano

Depois de se fazer presente em inúmeras salas de concerto de toda a Europa, o frevo jazzístico, repaginado e com pegada contemporânea vai chegar ao maior mercado fonográfico do mundo e dificílimo de se entrar. A SpokFrevo Orquestra parte para uma turnê pelos Estados Unidos com série de oito shows, a partir de 19 de outubro, que incluem concertos em importantes centros musicais. Dois deles na sala The Appel Room, no Lincoln Center, em Nova Iorque, nos dias 24 e 25. O grupo apresentará o último CD gravado, Ninho de Vespa, com o qual a SPO venceu o Prêmio da Música Brasileira deste ano na categoria grupo instrumental.

A nova sequência de apresentações começa no Berklee Performance Center, em Boston. Para promover a turnê, a SPO assinou parceria com o selo Motéma, sediado em San Francisco e com escritório no bairro do Harlem, em Nova York. A gravadora especializada em jazz e outros gêneros musicais, com portfólio de artistas vencedores do Grammy, irá divulgar o grupo pernambucano em território norte-americano.

Num dos cenários mais bonitos e representativos para o grupo na cidade, o Paço do Frevo, o Social1 conversou com Inaldo Cavalcante de Albuquerque, a.k.a maestro Spok, e Gilberto Pontes, o saxofonista Giba, sócios na orquestra sobre a turnê e a realização de um sonho.

Fotos: Dayvison Nunes/JC Imagem

Fotos: Dayvison Nunes/JC Imagem

O que representa essa turnê para a carreira da SPO?

Curso para professores discutirá cultura popular brasileira

Encontros na Casa das Rosas irão abordar a obrigatoriedade do estudo de história e cultura afro-brasileira na educação básica

por Portal BrasilPublicado: 08/10/2014 15h18

Divulgação/EBCEncontros também irão abordar e analisar as práticas culturais africanas

Encontros também irão abordar e analisar as práticas culturais africanas

IProfessores e educadores interessados em participar da oficina temática sobre cultura popular brasileira oferecida pela Casa das Rosas, em São Paulo (SP), podem se inscrever até 22 de outubro. Os encontros serão realizados aos sábados, das 14 às 17h, nos dias 1º, 8 e 22 de novembro. Já no dia 29 do mesmo mês, a oficina será estendida até às 18h para oferecer aos participantes atividade de vivência com tambores. 

O curso irá abordar aspectos da cultura popular brasileira em consonância com a lei federal nº 10.639/2003, que determina a obrigatoriedade do estudo de história e cultura afro-brasileira.

Ministrado pelos profissionais Pedro Rodrigues, Gustavo Cék e Rômulo Nardes, o foco é discutir a participação africana e afro-brasileira no processo de conformação da cultura popular brasileira.

Também haverá análise das práticas culturais, maracatus, sambas e afoxés, a partir do debate de elementos fundamentais como: a oralidade, a música, as festas, a religiosidade, a literatura, as encenações, o canto e a dança. Vale ressaltar que no último encontro haverá uma vivência musical sobre os ritmos abordados durante o curso.

7.10.14

“A Música Instrumental Pede Passagem” em Maringá e região a partir desta quarta

Pela primeira vez, o grupo de jazz curitibano Mano a Mano Trio desembarca em Maringá para uma série de apresentações que integram o projeto “A Música Instrumental Pede Passagem”. A iniciativa, realizada pela produtora Cottonet-Clube, foi uma das selecionadas pelo Viapar Cultural no início deste ano e conta com fomento à cultura do Instituto Cultural Ingá (ICI).

5.10.14

Boutique Vintage recebe show do grupo Rubato in Gruvi

Na última sexta-feira de outubro, dia 31, a Boutique Vintage Brechó&Bar receberá o grupo Rubato in Gruvi, com música instrumental brasileira, às 21h.

Divulgação

Divulgação

Show tem entrada pelo esquema "pague quanto vale"

Formado por André Freitas (vibrafone), André Trulio (contrabaixo), Elder de Souza (bateria) e Wilton Carvalho (violão, saxofones e viola de arco), o Rubato In Gruvi completará em 2014 dez anos de uma trajetória exclusivamente voltada à música instrumental.

Surgido na ULM – Tom Jobim, atual EMESP, como um grupo de estudos e experimentos, o quarteto tornou-se profissional junto com seus integrantes, mantendo a liberdade criativa e a improvisação como suas principais características. Sempre trabalhando novos e inovadores arranjos de clássicos da MPB, além das músicas de seu primeiro álbum “Fermata a Tempo” (2009), o grupo reveza a criação de arranjos, a execução dos temas e improvisações, tendo todos os instrumentistas e instrumentos como protagonistas em determinado momento.

As músicas autorais do Rubato, compostas por André Trulio e Wilton Carvalho, aliam influências eruditas – com arranjos bem acabados e peças longas - e populares – improvisação e muito groove, criando um ambiente ao mesmo tempo elegante e descontraído, graças à sólida formação de seus integrantes. Mestres da música brasileira e jazzística, como Tom Jobim e João Donato, são as principais influências do grupo.