23.1.14

Hermeto Pascoal e outros artistas fecham programação da Oficina

(foto: Joel Rocha)

Boca Maldita receberá palco no final de semana com diversas apresentações

A 32ª Oficina de Música encerra neste fim de semana com shows ao ar livre, em palco montado na Boca Maldita, no Centro de Curitiba. Entre as principais atrações reservadas para os últimos dias estão as apresentações de Hermeto Pascoal, nesta sexta-feira (24), as 21 horas no Guairão, e do grupo paulistano Bixiga 70, sábado (25), as 14h30, no palco da Boca Maldita.

Um dos grandes mestres da música instrumental brasileira, Hermeto Pascoal, que reside em Curitiba desde 2003, tem prestigiado a Oficina de Música da plateia, mas este ano brindou o público com um show especial.

Acompanhado de outros músicos, Hermeto mostra o seu talento e a sua criatividade como multi-instrumentista, reconhecido no Brasil e no exterior. No show, Hermeto toca teclado, oito baixos, flauta-baixo, chaleira, escaleta e copo com água, numa demonstração de sua capacidade de tirar sons e produzir música dos objetos mais inusitados.

Participam da sua banda músicos igualmente reconhecidos no cenário da música instrumental: Aline Morena (voz, viola caipira e percussão corporal), Itiberê Zwarg (baixo elétrico e percussão), André Marques (teclado, flauta e percussão), Vinícius Dorin (saxofones, flautas e percussão), Fábio Pascoal (percussão e direção de palco) e Ajurinan Zwarg (bateria e percussão).

Boca Maldita

A movimentação no palco da Boca Maldita começa na sexta-feira (24), a partir das 11 horas, com apresentações de vários grupos formados por alunos da Oficina de Música, nas aulas de prática de conjuntos: Orquestra de MPB sob o comando do maestro André Marques, Conjunto Instrumental orientado por Pedrinho Figueiredo (saxofone) e Junior Ferreira (saxofone), Conjunto de Metais de Joatan Nascimento, Conjunto de Percussão de Amoy Ribas e Conjunto Vocal de Mônica Waghabi.

A sequência de espetáculos encerra com Ravi Brasileiro e Waltel Branco, em uma reprise do show “Waltel para tod@s”, apresentado em novembro, na Corrente Cultural 2013. O show foi concebido para divulgar a música de Waltel, compositor paranaense, e assim como Hermeto, conhecido e respeitado internacionalmente. A apresentação tem a participação de Waltel Branco, das cantoras Crisfanny Soares e Vilma Ribeiro, e de uma banda formada por Ravi Brasileiro (voz e guitarra), Endrigo Bettega (bateria), Guto Horn (piano), Fred Pedrosa (baixo acústico e elétrico), Carla Zago (violino) e Guilherme Efrom (trombone).

Talento paulistano

Em meio a uma série de bandas curitibanas que fazem a festa na Boca Maldita, neste sábado (25), uma atração especial vem de São Paulo. É a banda Bixiga 70, que se apresenta pela primeira vez em Curitiba, na turnê de lançamento de seu segundo CD. O álbum une o ritmo dos terreiros, as dinâmicas jazzísticas, a cultura jamaicana, sons da Etiópia e do norte do Brasil, como fonte para as suas próprias composições.

Dez músicos integram a banda que é sucesso na cena musical paulistana: Décio 7 (bateria), Marcelo Dworecki (baixo), Maurício Fleury (teclado e guitarra), Cris Scabello (guitarra), Rômulo Nardes (percussão), Gustavo Cék (percussão), Cuca Ferreira (sax barítono), Daniel Nogueira (sax tenor), Douglas Antunes ( trombone) e Daniel Gralha (trompete). O grupo tocará músicas do novo disco, como “Deixa a Gira Girá”, “Ocupai”, “Kalimba”, “5 Esquinas”, “Kriptonita”, “Tigre’, “Tangará”, “Retirantes” e “Isa”.

Na programação de sábado, na Boca Maldita, também estão o músico Anderson Lima (10h), a Banda Namastê (11h30), Irmãos Carrilho (16h30), Seu Zeba (17h45) e Grupo Molungo (19h15).

Grito de carnaval

A 32ª Oficina de Música de Curitiba encerra suas atividades anunciando a grande festa popular do Carnaval. Domingo (26), o palco da Boca terá shows de grupo étnicos durante a tarde, e a partir das 17 horas, o bloco carnavalesco Garibaldi e Sacis faz o grito de Carnaval, tomando o calçadão da Rua das Flores.

As atrações no palco começam as 13 horas, com apresentação de grupos folclóricos. O primeiro a se apresentar é o Grupo Folclórico Italiano Giardino D’Amuri, de Santa Felicidade, que mostrará danças típicas da Sicília. Depois, as 14 horas, é a vez do Grupo de Dança Flamenca do Centro Espanhol do Paraná. As 15 horas começa o show do Grupo Wakaba Taiko de Tambores Japoneses. E as 16 horas, o grupo O Samba da Murixaba apresenta o espetáculo “Eban”, que proporciona um passeio entre as danças tribais, samba de roda, cânticos e danças afro-litúrgicas, numa amostra da força do negro e da etnomusicologia em Curitiba.

Bem Paraná  CULTURA

http://www.bemparana.com.br/noticia/

Nenhum comentário:

Postar um comentário