5.5.13

Música instrumental é opção no Cariri–FESTIVAL

Juazeiro do Norte. A música instrumental nordestina contemporânea terá lugar garantido no VIII Festival da Música Instrumental, apresentado pelo Ministério da Cultura e pelo Centro Cultural Banco do Nordeste.
O grupo Viola de Arame, da Bahia, está entre as atrações da programação. Os músicos exploram as possibilidades sonoras de um instrumento pouco comum na construção de melodias, no caso, a viola de dez cordas
Durante seis dias, dez grupos e artistas irão se apresentar, traçando diversificado panorama da produção instrumental do País. O Festival acontece durante o fim de semana, nos Centros Culturais do Banco do Nordeste em Juazeiro do Norte e em Sousa, na Paraíba, até o dia 5. Durante esse período, também haverá shows na Capital.
A programação do evento será composta por nove atrações com bandas e artistas que representarão os Estados do Nordeste, além de um convidado especial, o guitarrista e bandolinista baiano Armandinho.
O artista realizou um grande show, acompanhado por sua banda completa, e ainda proporcionou um bate-papo no CCBNB de Juazeiro do Norte.

 


Dentre as atrações, vários instrumentos e estilos dialogam. O grupo A Lá Sax Quarteto, de Alagoas, mostra que é possível inventar bastante ao som de quatro tipos do instrumento de sopro. Já o Viola de Arame (BA) explora um instrumento pouco comum na construção de melodias: a viola de 10 cordas.
Inovação

A programação diversificada contempla novos músicos e grupos, tais como Thiago Almeida Trio (CE) e Rivotrill (PE), além de consagrados instrumentistas, como Xisto Medeiros (PB) e Chiquinho França (MA).
A mistura de linguagens, influências, referências, tradições e novidades deixa clara a efervescência que vem acontecendo nessa frente da música brasileira. Em sua oitava edição, o Festival dá visibilidade e fortalece a cena musical instrumental do Nordeste. As atrações circulam em todas as cidades-palco do festival, fazendo, cada uma, três shows, para deixar que os sons ressoem sem fronteiras e cheguem ao maior público possível, favorecendo contatos e parcerias, sempre em prol do acesso à diversidade cultural.
Há tempos, instrumentistas e compositores das mais diversas influências vêm provando que o leque de opções sonoras é bem mais amplo do que se pode supor, a partir dos meios convencionais de circulação da música. Acreditando no potencial dos grupos dessa região, o VIII Festival da Música Instrumental surge com o intuito de expandir novas sonoridades e linguagens que se fundem e se constroem a partir da rica diversidade rítmica do território brasileiro e nordestino, calcado no folclore e em danças típicas (coco, bumba meu boi e maracatu).
Parcerias

O evento é uma realização do Ministério da Cultura, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e pelo Centro Cultural Banco do Nordeste.
Tem patrocínio do Banco do Nordeste do Brasil, em parceria com o Theatro José de Alencar e Governo do Estado do Ceará, e realizado pela Sociedade Cearense de Jornalismo Científico e Cultural e Ministério da Cultura, Governo Federal.
Mais informações

Centro Cultural Banco do Nordeste - Cariri
Rua São Pedro, 337 - Centro
Juazeiro do Norte
Telefone: (88) 3512.28

Diario do Nordeste

http://diariodonordeste.globo.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário