8.7.14

Ex-combatentes serão homenageados pela Prefeitura no dia 9

 

9 de julho

A Revolução Constitucionalista de 1932 contribuiu para avanços na economia, política e sociedade do Estado de São Paulo.

A prefeitura da Estância Turística de Tupã por meio da Secretaria Municipal da Cultura, relembra na próxima quarta-feira, 9 de julho, a Revolução Constitucionalista de 1932,  que é considerada o maior movimento cívico do Estado de São Paulo.

A cerimônia de homenagem aos ex-combatentes será realizada na Praça 9 de julho, em parceria com a Polícia Militar, Tiro de Guerra, Corpo de Bombeiros e autoridades municipais. Doze policiais receberão a Láurea de Mérito Pessoal. “É uma medalha de honra para o policial militar que prestou serviços operacionais à cidade”, explica o tenente Vander. E, também será lida uma moção aos policias militares, moção esta recebida da Câmara Municipal de Tupã.

Tradicional em Tupã, a homenagem é realizada há pelo menos 30 anos e integra o calendário de comemorações municipais. “A nossa maior homenagem está no cuidado que temos com nossa memória. Ter uma praça como esta(Praça 9 de julho) que todos os dias podemos passar por aqui e lembrar da história e rememorá-la é muito importante”, comenta o prefeito Manoel Gaspar.

A Orquestra Municipal Maestro Julio de Castro fará a abertura com o Hino Nacional. O ponto alto da solenidade será a homenagem aos ex-combatentes de Tupã no monumento em memória aos soldados de 32. A solenidade desta data é a celebração da data magna do Estado, em memória ao dia em que os paulistas pegaram em armas para lutar pelo  regime democrático no país, deflagrando a Revolução Constitucionalista de 1932.

A Revolução de 1932 foi um movimento armado ocorrido entre julho e outubro de 1932. O objetivo era a derrubada do presidente Getúlio Vargas, que estava no poder desde 1930. A revolução acabou eclodindo  no dia 9 de julho, sob o comando dos generais Bertolo Klinger e Isidoro Dias. O levante se estendeu até o dia 2 de outubro de 1932, quando os revolucionários  perderam para as tropas do governo. Mais de 35 mil paulistas lutaram e pelo menos 890 pessoas morreram nos combates.

Embora derrotados, os paulistas conseguiram alcançar alguns objetivos. Entre eles, a Constituição que acabou sendo promulgada em julho de 1934, trazendo alguns avanços democráticos e sociais para o país.

“Comemorarmos  esta data é de extrema importância , homenagear àqueles que  lutaram por um estado livre promulgando a constituição  é um ato cívico. Eles lutaram pelos seus ideais, buscavam uma renovação constitucional, este ato mostra nossa igualdade com nossos irmãos  combatentes que lutaram para que hoje tivéssemos um estado digno como o nosso”, declara o Secretário Municipal da Cultura, Charles dos Passos.

Por: Assessoria de Comunicação

http://www.tupa.sp.gov.br/noticia/

Nenhum comentário:

Postar um comentário