29.4.12

Na trilha de Matias Capovilla


Julio de Paula | 27.04.2012
“A gente não conhecia essa música vitoriosa cubana, cheia de tambor, dançante e muito sofisticada. Foi onde eu pirei.”
Trombonista e compositor, ele cresceu na Bela Vista e estudou violino na adolescência. Desistiu quando ouviu uma gravação da grande Anne-Sophie Mutter (tocando aos 13 anos). Com um trombone em mãos, adaptado a um bocal de durepox, assumiu o instrumento e logo passou a tocar profissionalmente.

“Minha primeira gravação foi aqui para um programa da TV Cultura, “Vestibular da Canção”, de escola contra escola. O Colégio Equipe [do qual sempre foi aluno] tinha como patrono o João Bosco. Outras escolas tinham outros patronos, como Milton Nascimento e Luiz Gonzaga. Era muito interessante, projeto baseado na Coleção da Música Popular Brasileira. Então, você tinha que responder perguntas sobre os artistas, fazer música, montar um grupo, fazer reinterpretações, pegar uma poesia e musicar. Era um trabalho muito legal. E a gente chegou a gravar para um disco que iria sair, mas não saiu. Tinha 16 anos, toquei violino e trombone”

A música cubana é referência para os conjuntos integrados por Matias desde a década de 1980, como o Sossega Leão. Do trabalho como trombonista junto a essas bandas, veio a necessidade de arranjar e compor. O compositor aparece em definitivo com a música de cena para teatro e cinema.

“Esse trabalho de composição começa em paralelo com as bandas onde eu atuava como músico. Acabei virando compositor e arranjador também. Quando descobri a salsa, compus muito, fizemos muitas parcerias. Até no próprio álbum do Sossega, de 85, tem uma música minha com letra do Guga [Stroeter]. Então, o barato de compor era uma coisa que servia depois ao teatro, mas foi uma potencialidade que eu senti muita vontade de desenvolver”, lembra.

________________
Supertônica
Na trilha de Matias Capovilla
Apresentado originalmente na RCB em maio de 2011
http://www.culturabrasil.com.br/programas/supertonica/arquivo-11/na-trilha-de-matias-capovilla

Nenhum comentário:

Postar um comentário