25.6.11

Tupã Junina 2011 começa neste sábado Festa deve reunir cerca de 60 mil pessoas

16_06_2011_07_48_00_juninatupa
o Tupã Junina 2011, a maior festa junina popular da região. A equipe da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo já iniciou a decoração da Praça da Bandeira e do Espaço Cultural "José Anselmo Filho - Zé Pretinho", com a colocação de bandeirinhas, luzes e ornamentação típica.
O evento, que deverá atrair cerca de 60 mil pessoas, começa neste sábado, dia 25, e se estenderá até o próximo dia 29 de junho (próxima quarta-feira). A festa que marca as comemorações pelo dia de São Pedro, padroeiro da cidade, contará com vários eventos serão realizados na Praça da Bandeira, incluindo concurso de quadrilhas, praça de alimentação, brinquedos e show.
A programação do Tupã Junina começa neste sábado, a partir das 20 horas, no Espaço Cultural “José Anselmo Filho-Zé Pretinho”, com a apresentação de quadrilhas das escolas municipais. No dia 26, domingo, também às 20 horas, no Espaço Cultural, acontecerá a apresentação das quadrilhas especiais.

Na segunda-feira, dia 27, a atração será o grupo de pagode “Jeito Moleque”, que se apresentará a partir das 21 horas, no palco que será montado defronte ao Grande Hotel Tamoios. Formado por Bruno Diegues (voz), Carlinhos (cavaquinho e vocal), Felipe (violões, banjo e vocal), Rafa (percussão e vocal) e Alemão (percussão e vocal), o Jeito Moleque é um grupo de pagode romântico que surgiu em 1998, em Santana, Zona Norte de São Paulo.
Após as partidas de futebol jogadas em um clube do bairro, os cinco amigos de infância, Bruno, Carlinhos, Felipe, Rafa e Alemão, se aproximaram dos músicos que tocavam no local e começaram a formar um grupo de pagode universitário, gênero conhecido por misturar influências da música pop com o samba.
O grupo começou a tomar forma profissional no final de 1998, quando, após se apresentar em festas de amigos, o grupo passou a tocar aos domingos num bar da Vila Madalena (SP) para um público formado, em sua maioria, por jovens universitários como os integrantes do Jeito Moleque, que freqüentaram faculdades de Direito, Publicidade, Economia e Turismo antes de se dedicarem completamente à música.
A partir de 1999, o Jeito Moleque começa a se apresentar nas casas da Vila Olímpia, é quando aparece no repertório sua primeira música autoral, Amizade Verdadeira. O grupo passa também a participar de eventos e shows de axé music comandados por nomes como: Babado Novo, Chiclete com Banana e Ivete Sangalo.
Em 2003, o Jeito Moleque gravou, ao vivo, seu primeiro disco solo (antes, o grupo já havia gravado participações em um álbum coletivo, Pagode, Cerveja & Feijoada, e em uma coletânea da casa noturna Cabral). O CD intitulado Jeito Moleque foi lançado em 17 de junho de 2004 com show no Armazém da Vila, São Paulo.
Com o aumento no número de shows e de público em 2004, além do aumento da execução de músicas como Eu Nunca Amei Assim, o Jeito Moleque assinou, em janeiro de 2005, um contrato com a Universal Music. Com essa nova parceria, o grupo gravou o CD e DVD Me Faz Feliz, captados ao vivo em show na Vila Olympia, uma das mais tradicionais de São Paulo (SP). O lançamento do CD e DVD Me Faz Feliz ampliou a projeção do Jeito Moleque, que percorreu o Brasil com o show de lançamento deste álbum ao longo de 2005 e de 2006.
Já em abril de 2007, a Universal Music lançou o álbum O Som do Bem, que contava com músicas compostas pelos próprios integrantes do Jeito Moleque e experimentações musicais com beat box, recurso usado nos discos de rap. Ainda em 2007, o Jeito Moleque gravou o CD e DVD: Ao Vivo na Amazônia, gravado em Manaus (AM) em dezembro daquele ano em show feito para público superior a 20 mil pessoas. O projeto tinha como objetivo chamar a atenção dos jovens fãs do grupo para a importância das questões ambientais. Além disso, todo o material gráfico do CD e do DVD foi produzido com papel reciclado, atitude que o grupo já havia tomado desde seu disco anterior - e a banda convidou 50 jovens universitários para atuar como monitores ambientais durante o show.
Em 2009, o Jeito Moleque gravou o CD e DVD: 5 Elementos, na casa de eventos The Week, em São Paulo (SP) com as participações especiais de Demônios da Garoa, Thiaguinho do Exaltasamba, Grupo Revelação, Tati Portella do Chimarruts e Walmir Borges. Em um evento fechado para apenas 1.500 convidados, o grupos apresentou 18 canções inéditas em dois palcos, que visavam chamar a atenção do público para a temática do meio ambiente urbano. Em decorrência do projeto ambiental desenvolvido pelo grupo, o Jeito Moleque trouxe, nos extras de seu novo trabalho, o mini-documentário "Andro Preservando", além do making of da turnê realizada nos Estados Unidos.
O Projeto Ambiental no qual o grupo Jeito Moleque está engajado ainda vai além. Tudo começou em agosto de 2006, quando a banda recebeu o convite da empresa OAK, Educação e Meio Ambiente, na qual o vocalista Bruno Diegues trabalhou antes de formar o grupo, para fazer um show de caráter ambiental. Nesse projeto, além de projetar cenas de vídeos educativos durante os shows, o grupo Jeito Moleque se compromete, a cada apresentação, plantar árvores para neutralizar o gás carbônico emitido durante os shows e, assim, não contribuir para a preservação do efeito estufa que vem desencadeando o aquecimento global.
A programação do Tupã Junina 2011 continua na terça-feira, dia de 28 de junho, com show da dupla sertaneja João Carreiro e Capataz. Um dos grandes nomes do chamado sertanejo universitário João Carreiro e Capataz formam uma dupla que surpreende a todos que têm a oportunidade de ver e ouvir o seu trabalho, pela formação inédita do conjunto: tradição e juventude.
Eles compõem e interpretam canções que falam da simplicidade, das paixões, da poesia, da terra, do amor, e da saudade da vida no meio rural. A dupla oferece a seu público um repertório bem escolhido e variado, assinado por compositores consagrados, ao lado de canções assinadas por eles próprios, revelando seu potencial como compositores, confirmando assim sua versatilidade e talento.
Formado em 2003, a dupla João Carreiro e Capataz vem atingindo um público cada vez mais diversificado, tanto em gênero, faixa etária como nível social, destacando-se o público jovem universitário.
Coincidentemente um dos tios do João Carreiro trabalhava na mesma empresa na qual o universitário Capataz era estagiário, surpreso ao ver o companheiro de trabalho tocar e cantar nas festas de confraternização da empresa, o tio do João Carreiro convidou o Capataz para conhecer o sobrinho. Para surpresa de todos, uma semana depois já eram a dupla João Carreiro e Capataz.Hoje o administrador de empresas João Carreiro e o advogado Capataz já têm 2 CDs gravados, é uma das mais promissoras duplas que surgiram nos últimos anos.
O Tupã Junina continua na quarta-feira, dia 29, dia de São Pedro. A programação será iniciada logo pela manhã, a partir das 8 horas, com o Passeio Ciclístico. O evento deverá reunir milhares de participantes, que sairão da Praça da Bandeira e percorrerão as principais vias da cidade. Durante o evento haverá sorteio de brindes, premiação ao ciclista mais jovem e mais idoso e à bicicleta mais enfeitada.
Às 18 horas acontecerá a tradicional procissão em homenagem ao padroeiro da cidade, seguida de missa na Igreja Matriz de São Pedro. Às 20 horas, haverá grande show pirotécnico e encerrando a programação do Tupã Junina 2011, haverá apresentação da dupla Liu e Léu, no Espaço Cultural "José Anselmo Filho - Zé Pretinho".
Lincoln Paulino da Costa (Liu) e Walter Paulino da Costa (Léu) ambos nascidos no Bairro Congonhas na pequena cidade de Itajobi, membros de uma família tradicional de cantadores de nove irmãos, sendo duas mulheres, cresceram na lavoura de café e cereais, onde viveram parte de suas vidas e sempre participando de festas de catiras.
Lincoln, além de dançar catira, era romântico; gostava de declamar poesias e até de cantar músicas de Vicente Celestino. Walter aos 6 anos de idade subia numa cadeira para cantar com o irmão mais velho, o Benedito, e já fazia parte do time de catira. Com 16 anos fez dupla com um amigo e participavam de programas na Rádio de Novo Horizonte e também em Catanduva.
Nesta época a dupla chamava-se “Sampaio e Nenê Cunha”. Faziam shows pela região, e o Liu participava declamando poesias e fazendo humorismo. O pai, seu Gabriel já cansado deixou a vida dura da lavoura indo para a cidade, foi aí que os dois irmãos decidiram ir para a capital São Paulo para trabalhar numa metalúrgica, a Mercantil Suíça.
Aguardando para assumirem o trabalho foram assistir a festa de aniversário do programa “Brasil Caboclo” na Rádio Bandeirantes, na rua Paula Souza, programa de auditório que ia ao ar diariamente as 7 horas da manhã. Neste programa eles cantaram, com instrumentos emprestados, a música de Dino Franco e Sebastião Victor, “Meu Ranchinho”.
De agrado geral, marcou-se ali mesmo a estréia para o dia 5 de novembro de 1957, no programa “Novidade Sertaneja” apresentado por Zacharias Mourão. Compraram uma viola e um violão e escolheram os nomes. O Lincoln já era apelidado por “Liu” e aí foi só acrescentar “Léu” para o Walter. Nascia ali a dupla Liu e Léu.
A dupla tornou-se conhecida pelos circenses através do rádio, e começaram a se apresentar em circos pelos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Goiás e Mato Grosso. Em abril de 1959 gravaram o 1º LP na gravadora Chantecler, ainda em 78 rotações, com a moda de viola “Rei do Café” de Teddy Vieira e Carreirinho e do outro lado “Carreiras de Cururu” de Piraci, Biguá e Teddy Vieira. Em junho do mesmo ano gravaram a toada “Boiadeiro Errante” de Teddy Vieira (música que se tornou um clássico, personalizando a dupla e mantendo-se em sucesso permanente) na outra face do disco a música “Baile na Roça” de Teddy Vieira e Zico.
Com o término do compromisso na Rádio Bandeirantes, transferiram-se para a Rádio Nove de Julho participando semanalmente do programa “Prelúdio Sertanejo” até o ano de 1962 período em que gravaram mais 6 discos de 78 rotações. Neste mesmo ano houve grandes mudanças, gravaram o 1º LP intitulado “Nosso Rancho” pela gravadora Continental, receberam o troféu pela música “Meu Ranchinho” de Dino Franco e Sebastião Vitor de Melhor Música do Ano.
Em seguida foram para a Rádio Nacional de São Paulo permanecendo lá durante muitos anos. Liu e Léu participaram também do primeiro programa “Viola, Minha Viola”, na TV Cultura. Contratados pela Rádio Record participavam do Programa “Linha Sertaneja Classe A” e paralelamente apresentavam-se em programas de televisão. Em 1978 Liu e Léu, criam o selo Tocantins onde lançaram vários artistas, e a própria dupla, destacando neste período os sucessos: Sementinha, Mãe de Carvão, O Ipê e o Prisioneiro, Jeitão de Caboclo, Ano 2000, Porta, Cadeia de Papel, Velho Pouso de Boiada, Prato do Dia, 25 de Dezembro e Legítimo Doutor.
Ao todo somam-se 32 LPs pelas gravadoras Continental, Chantecler, RCA Victor, Copacabana e Tocantins, e 17 CDs em várias outras. Ao longo da carreira permanecem em destaque as músicas, Rei do Café, Boiadeiro Errante, Adeus Minha Terra, Rainha do Paraná, Caminheiro, Dona Saudade, Onde Eu Moro, Buscando a Felicidade e outros.
Em 2002 é lançado o CD “Jeitão de Caboclo” pela gravadora Atração, que em 2003 recebe a indicação para o Grammy Latino na categoria de “Melhor Álbum de Música Regional”. No ano de 2005 participaram, na casa de shows Olímpia, da gravação do DVD 100% Caipira com a música “Jeitão de Caboclo”. O mais recente trabalho é lançado agora, no ano de 2009 pelo selo Tocantins, intitulado “50 Anos”.
Portal de Turismo da Estância de Tupã

Nenhum comentário:

Postar um comentário